Pular para o conteúdo principal

Um professor pode usar um jaleco branco?


Essa semana fui acometido por uma imagem no mínimo intrigante: um professor vestido num jaleco branco. Devo admitir que há muito vira uma imagem desse tipo, mas a associava sempre a algo antigo, ultrapassado, que professor ou escola alguma jamais utilizasse mais tal indumentária.

Conversei com alguns colegas de trabalho sobre o acontecido e fui surpreendido por um comentário que me fez questionar meu "pré-conceito". O comentário versava sobre o fato de que, segundo esse colega, todo professor deveria usar essa roupa pois ela impõe respeito diante dos alunos. Achei esse comentário estranho, pois jamais passou pela minha cabeça que um professor dependesse de uma roupa para conseguir respeito entre seus alunos.

Ao refletir sobre o assunto em questão, recordei-me de minhas aulas de sociologia na universidade onde meu estimado professor falava sobre o papel que a indumentária pode exercer sobre as pessoas numa dada sociedade. Citou o exemplo do médico e em seguida do advogado em que ambos, se não usassem as roupas que usam, não iriam surtir o efeito de "diferenciados" dentro da nossa sociedade na nossa época atual e que não obteriam, consequentemente, o respeito almejado por ambas as profissões.

Claro que essa constatação sociológica - se é que podemos chamá-la assim - está carregada de certa razão, pois não apenas os médicos e advogados como também outras profissões atribuem à roupa um papel fundamental que ela deve exercer para se conseguir um reconhecimento do status social. Por isso o padre ou o pastor vestirem-se diferentes das demais pessoas; por isso os artistas famosos ou os juízes também se utilizarem deste mesmo artifício. No entanto me questiono se outras profissões deveriam seguir esse mesmo princípio como é o caso do professor.

Ao aceitarmos conviver em sociedade, pelo menos assim aprendi no meu breve curso de Introdução à Sociologia, somos também obrigados a aceitar determinadas atribuições que o nosso papel social nos coloca. Por isso sermos impelidos em determinadas circunstâncias a agirmos e vestirmo-nos de forma "adequada" para não sofrermos muito com aquilo que o velho Durkheim chama de coerção social. Se bem que, ainda de acordo com o sociólogo, ninguém em sociedade estaria livre de sofrer tal influência já que tal característica é inerente a toda sociedade humana.

Nesse sentido, parece que o uso de determinadas indumentárias ou apetrechos possuíriam lugares e tempos determinados para serem utilizados de forma adequada. Não me sentiria bem, por exemplo, trajando uma sunga de praia em um velório, embora eu pudesse fazê-lo desde que estivesse ciente - ou não! - das consequências que minha atitude causaria não só diretamente a mim como também, de forma indireta, aos meus amigos ou à minha família.

Sempre me questionei a respeito das roupas ditas determinadas para o convívio social em determinados momentos ou lugares. Nunca admiti a ideia de vivermos num país de clima tropical e sermos obrigados a usar calça jeans e uma camisa "fechada" para entrar num prédio público. Questiono-me ainda se tal comportamento não seria fruto de um resquício do nosso "deslumbramento" daquilo que vem de fora do nosso país.

Sem comentar que o uso desse jaleco, assim ouvi ou li em algum lugar, também teria sido um resquício da ditadura militar que infligiu o nosso país nos anos sessenta, numa tentativa, talvez válida, de aumentar a auto-estima do professor naquele período - assim como a utilização, por exemplo, do termo "disciplina" para atribuir às matérias que ensinamos na escola.

O colega que trajava o dito jaleco branco não era tão idoso assim, mas isso não quer dizer que ele seria uma pessoa de espírito envelhecido sobretudo enclausurado numa época que não mais voltará - um saudosista. Talvez queira apenas destacar-se, chamar a atenção para a necessidade de conseguir respeito já que a nossa "opção-condição" social - essa coisa ainda mal explicada que nos leva a sermos professores - infelizmente não nos dá de maneira satisfatória e ampla. Mas ainda insisto em querer acreditar que uma roupa não possui esse poder todo num mundo tão moderno...

Comentários

  1. Talvez o quadro que ele usava era de riscar com giz e ele não queria sujar a roupa. =D

    ResponderExcluir
  2. acho super adequado um professor usar jaleco alem de nao sujar as roupas fica uma postura mais formal para o profissional e identifica a classe dentro de uma instituição que possui um grante numero de profissionais.

    ResponderExcluir
  3. Eu concordo que o jaleco impõe respeito diante dos alunos. Acho que nós professores ficamos muito expostos e e frequentemente somos alvos de comentários dos alunos sobre nosso corpo.
    Eu como mulher e professora acho o uso do jaleco muito bom, embora não use devido ao calor que faz onde moro, acho super bonito (n precisa ser branco) e elegante.
    Tenho 33 anos e após 13 anos em sala de aula esse ano decidi que vou usar jaleco. rsrs

    ResponderExcluir
  4. Estou em um curso de licenciatura e apenas uma professora usa jaleco para lecionar. Professora de teorias e práticas de educação, pq será? rs. Na verdade acho que realmente o jaleco impoe respeito diante dos alunos, mas ainda não tenho uma opinião definitiva se vou ou não usá-lo qdo chegar minha vez de lecionar, por isso que estou tentando entender e ver os prós e contras. Acho que na verdade, algumas instituições de ensino exigem o uso e outras deixam o professor (a) a vontade para decidir. Todos devem se vestir de acordo com a ocasião e de forma confortável, acho que nisso todos concordam.Vamos ver.rs Cyntia

    ResponderExcluir
  5. Estou no ultimo ano de História e pretendo utilizar o jaleco em minhas aulas, pelos mesmos motivos apontado pelo post. Não que o jaleco vai necessariamente fazer o aluno te respeitar mais, entretanto, a influência da imagem mental que se constroi atravez da visão é algo com proporções que vão além do que parece. Não é a toa que há tanto investimento em desing de carros, na moda, eletrodomésticos, celulares... As pessoas se comportam de forma difente com o outro de acordo com a imagem que este constroi, o que ocorre através de vários elementos, como um jaleco.

    ResponderExcluir
  6. Agradeço a todos que abrilhantaram com seus comentários este post. Continuem comentando!

    ResponderExcluir
  7. Como afirma o bom e velho Bourdieu, estamos tratando do poder simbolico, e o mundo nada mais é do que uma representação, usamos simbolos em tudo. Portanto é plaúsivel representar a figura do professor com um jaleco sim, nescessariamente não precisa ser branco.Como professores buscamos tambem essa representação (capital simbólico) por isso concordo com o texto quando se apropria do conceito de fato social coercitivo do velho Durkheim, está nos impondo aderirmos a convenção social, entretanto desejamos.

    ResponderExcluir
  8. Sou professora e uso o jaleco branco por causa do pó do giz, assim sujo menos as minhas roupas, que geralmente são pretas, rsrsrs!

    ResponderExcluir
  9. Outro fator importante também, é o contato com crianças no colo (creches- Educação Infantil) principalmente em berçário para proteger a criança de algum acessório da roupa que machuca a criança e também evitar contaminação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, Regina Miriam. Nesse caso que você citou sou obrigado a concordar que o uso do jaleco é mais uma questão de higiene do que mera escolha ideológica ou simplesmente gosto. Valeu pelos comentários!

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  10. TENHO AMIGOS PROFESSORES QUE LECIONAM EM ESCOLAS DE ENSINO MÉDIO E UNIVERSIDADES PÚBLICAS AMBAS ESTADUAIS E A MAIORIA DELES NÃO ABRE MÃO DE USAR O AVENTAL BRANCO EM SALA DE AULA TANTO PROFESSORES COMO PROFESSORAS E UMA AMIGA MINHA QUE É PROFESSORA DE BIOLOGIA EM UNIVERSIDADE PÚBLICA ME DISSE QUE AONDE ELA LECIONA TEM ATÉ PROFESSORES HOMENS QUE USAM JALECOS BRANCOS MODELOS FEMININOS E USAM SEM CONSTRANGIMENTO NENHUM ATÉ PORQUE COMO A MINHA AMIGA DIZ "OS JALECOS FEMININOS DE COR BRANCA E BEM ACINTURADOS SÃO MUITO MAIS BONITOS E ELEGANTES PARA SE USAR EM SALA DE AULA DO QUE OS DE MODELO TRADICIONAL" E COMO ELA MESMO DIZ "VAI DO GOSTO E DA OPINIÃO DE CADA PESSOA USAR UM JALECO DE MODELO DIFERENTE OU NÃO"

    ResponderExcluir
  11. Sempre tive essa curiosidade sobre o uso, por parte dos professores, de jalecos durante aulas , apresentações de trabalhos, defesas de teses entre outros, tanto o texto acima como os comentários me enriqueceram muito acerca do assunto

    ResponderExcluir
  12. Sou professor de ciências e uso jaleco em algumas aulas (guando não está muito calor). Uso por conta do conteúdo, pois os alunos ficam mais atraídos para a aula e acham mais interessante. Eles me vêem como um cientista.

    ResponderExcluir
  13. Faço minhas as suas palavras, Leonardo. De fato não imaginei que essa postagem fosse ter a repercussão que está tendo e o quanto os comentários aqui colocados contribuíram para a transformação parcial de minhas concepções a respeito do jaleco. Mais uma vez reitero meus sinceros agradecimentos pela contribuição de vocês ao blogue!

    ResponderExcluir
  14. Na boa... O jaleco usado por professores tem a função de protegê-los do giz - nada mais. A melhor indumentária de um professor bem formado é sua formação e não um jaleco.

    ResponderExcluir
  15. Na boa... O jaleco usado por professores tem a função de protegê-los do giz - nada mais. A melhor indumentária de um professor bem formado é sua formação e não um jaleco.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

O problema da democracia

A democracia, é notório para muitos de seus defensores, é uma das melhores formas de governo que o ser humano pode gozar em sua história. Repleta de vantagens, de benesses, é de fato uma das formas de governo mais aprimorada para lidar com o ser humano em sociedade e seus anseios de liberdade. Mas hoje em dia mais se assemelha a um discurso envelhecido manejado pela velha burguesia que tenta impor mais uma vez goela abaixo suas sutis formas de dominação, alienação e controle - aliás, e quando de fato ela deixou de sê-lo? Apesar de ela ser a melhor forma de governo para lidar com o próprio ser humano em coletividade, ainda assim traz consigo algumas mazelas cancerígenas e que muito provavelmente irão demorar para extinguir-se, pelo menos por aqui, nas paragens tupiniquins.


A democracia manifesta como uma de suas mazelas cancerígenas, o que parece até um paradoxo, a diversidade de opiniões. Calma, não estou aqui afirmando que sou contra a diversidade de opiniões, mas por permitir uma d…

O MUNDO DA APARÊNCIA OU DA TITULAÇÃO

Ao preparar uma aula sobre Platão para os alunos do EJA (Educação de Jovens e Adultos) aqui no município onde trabalho, deparei-me novamente com os conceitos e aspectos que identificam a filosofia platônica e pude então refazer minha perspectiva a respeito de sua filosofia e o impacto dela nos dias de hoje. Ao realizar isso, pude perceber, mais uma vez, o porquê de este filósofo grego ser tratado como referência, como base, como clássico de fato na tradição filosófica ocidental.

Obviamente que não farei aqui uma interpretação aprofundada, rebuscada, acadêmica sobre este fantástico filósofo. No muito, inclusive como é próprio da proposta deste blogue, farei minhas inserções de cunho meramente "filosofante" neste post para que o leigo possa compreender o papel que a filosofia, em especial a filosofia platônica, pode auxiliar o ser humano na busca de sentido da nossa realidade tão mascarada, tão escondida e tão enviesada de ideologias dominantes. Obviamente também que a propos…