Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Maio, 2011

O casamento de um príncipe com uma plebeia

Recentemente o mundo foi “abalado” por um grande momento que aconteceu no reino da Grã Bretanha. O casamento do príncipe com uma plebeia... De repente, em todos os canais de grande visibilidade do Brasil, só havia esse grandioso casamento – que agora não me recordo, mas que não faço tanta questão assim de lembrar-me. Não conseguia assistir à programação normal em função desse assunto que, segundo alguns especialistas do tema, “mudaria o mundo”. Se a roupa da agora princesa estaria assim ou assado; se o príncipe faria isso ou aquilo; enfim, subitamente prorromperam milhares de especialistas e comentaristas do casamento real que fiquei assustado ao saber que tem gente que se especializa nisso... Comentários e mais comentários de famosos, de autoridades, de graduandas e graduadas e até doutores se debruçando sobre esse tema tão pertinente à nossa vida... Eu disse “pertinente”? Ora! Quão impertinente foi esse assunto que até hoje, quase três dias depois, ainda se ouve em notas na imprensa…

Da estultificação das massas

Às vezes me critico bastante por ser aquele tipo de gente que está predisposto a observar apenas o que tem de ruim em alguma coisa. Principalmente aquelas palavras que alguém, talvez por pura idiotice ou puro desleixo mesmo, solta diante de um número significativo de pessoas que porventura possa exercer algum tipo de influência. Esse tipo de coisa geralmente se dá com gente famosa, aliás, eles deveriam fazer alguma espécie de preparação ao se tornarem famosos, pessoas, quer queiramos ou não, que servem de referência para outras, para não falarem algo completamente sem nexo ou preconceituoso ou ainda despropositado. Hoje mesmo tive a felicidade de ouvir durante alguns cinco minutos valiosos da minha breve vida uma entrevista com o senhor Carlinhos Brown que comentava a respeito das críticas que o axé-music sofre e ainda vem sofrendo. Inicialmente estava compadecido pelo depoimento dele, senti-me na obrigação de levantar a bandeira em defesa da música baiana para as massas já que sou ta…